InovAtiva promove Demoday Delas em homenagem ao mês das mulheres

Compartilhe:

Em homenagem ao mês das mulheres, o InovAtiva organizou um evento especial de conexão de empreendedoras com investidoras: o Demoday Delas. Nesta quinta-feira, 17 de março, 12 soluções lideradas por mulheres participaram do evento com transmissão ao vivo pelo canal do InovAtiva no Youtube.

Jackline Conca, Subsecretária de Inovação e Transformação Digital no Ministério da Economia, participou da abertura do Demoday Delas para dar boas vindas e agradecer a todas as participantes. 

“É com muita satisfação que realizamos esse evento comemorativo ao Dia Internacional da Mulher. Desde 2014, o InovAtiva tem uma trajetória crescente com relação à participação feminina: o percentual de empreendedoras, mentoras e investidoras que participam dos nossos programas de aceleração hoje é mais do que o dobro. No entanto, embora as mulheres sejam 40% dos empreendedores no Brasil, menos de 10% das startups brasileiras foram fundadas por mulheres. Como uma política pública, é o nosso papel entender por que temos pouca representatividade neste que é um dos setores mais dinâmicos da economia e o que podemos fazer para alterar esse quadro. Demos o pontapé inicial nessa jornada com o lançamento do programa Brasil Pra Elas: uma política pública de fortalecimento do empreendedorismo feminino no país”, diz a Subsecretária.  

Conheça as startups e empreendedoras que apresentaram seu pitch na ocasião, moderadas por Morganna Tito, Coordenadora de Comunidades da Associação Brasileira de Startups (Abstartups) e Líder de Comunidade InovAtiva:

IOUPIE – Henrieth Oliveira

Santa Food – Evelyn Toledo

Soulcial – Juliana Bertin

e-Sinapse – Laylla Pereira de Toledo

Find Tattoo – Luciana Leal

Hospital da Alma – Erica Oliveira Moraes MR

Destrava – Clarissa Passos Linguori

Reserve 4me – Danielle Cosme

Ciclou – Amanda Martins

SleepUp – Renata Redondo Bonaldi

Q21 Odonto – Fernanda Bartolomeo Freire Maia

Empresa Digital – Nathalia Muylaert Locks

As empreendedoras tiveram três minutos para apresentar seus pitches, seguidos de cinco minutos de perguntas vindas das investidoras – banca formada por Simone Hipólito, Teresa Gurgel, Luciana Homrich, Líria Knutti e Maria Alice Frontini. Elas questionaram as empreendedoras sobre métricas financeiras e de impacto, método de validação, estratégia de alcance ao mercado, marketing, e registro de propriedade intelectual, para avaliar seu interesse em investir. 

“A empreendedora é o critério mais relevante para investir em startups deste estágio. Por isso, é muito importante que elas se sintam  à vontade para apresentarem suas empresas e mostrarem sua personalidade. Desta forma, nós como investidoras, conseguimos percebê-las melhor para oferecer feedbacks mais pragmáticos”, compartilha Maria Alice Frontini.  

A experiência se mostrou positiva para as empresárias. “É a primeira vez que eu falo com uma banca só com mulheres. O normal é sempre apresentar nosso pitch entre colegas homens e para uma banca inteiramente masculina. É uma situação que coloca a mulher sob uma pressão muito maior. Estar só entre mulheres não só fez com que eu me sentisse mais à vontade, como também trouxe um diferencial para o nosso modelo de negócios. Não ter que lidar com esse tipo de pressões  sociais faz com que as coisas fluam mais naturalmente.” diz Nathalia Muylaert Locks, CEO da Empresa Digital, focada em ajudar seus clientes a investir no trabalho remoto.