Mentora do InovAtiva avalia o espaço das mulheres na mentoria de negócios

Compartilhe:

Advogada desde o início de sua carreira, Nayara Campos começou a trabalhar com startups em 2016. Depois de três anos, fundou seu próprio escritório de advocacia para atender outros negócios e, tendo um acesso mais direto aos seus clientes, mergulhou no mundo do empreendedorismo inovador. Hoje, é uma das mentoras de negócios mais bem avaliadas do InovAtiva. 

“Inevitavelmente, a grande maioria dos meus clientes são homens”, diz a mentora. Dentre os empreendedores que mentora e os colegas mentores, a regra é a mesma: ela estima que a proporção é de cerca de 85% do sexo masculino. 

Ser a única mulher no seu entorno não é uma novidade para a mentora. “Já tive experiências onde meus clientes, os sócios e outros advogados  eram homens. Algo recorrente nessas situações é minha fala ser sempre confrontada. Tudo o que eu digo é questionado, enquanto um homem quando fala a mesma frase não é  refutado. Por isso, comecei a escrever e documentar absolutamente tudo para evitar situações desagradáveis”, diz.  

Nayara Campos é uma das mentoras de negócios mais bem avaliadas do InovAtiva
Posição tem desafios, inclusive de gênero

Nayara compartilha que estar na posição de mentora tem seus próprios desafios e a atitude dos empreendedores é visivelmente desigual entre seus gêneros. “Existem exceções, mas é comum que empreendedores já cheguem na defensiva quando eu faço algum comentário que vai de encontro com o que acreditam. Ao mesmo tempo, empreendedoras sempre estão mais dispostas a ouvir feedbacks e construir em conjunto.” Seu esforço é de tentar demonstrar que ela está lá para ajudar e que suas críticas são construtivas. 

A profissional observa que o espaço de fala é, de fato, majoritariamente masculino. Mesmo quando existe alguma mulher na equipe, o porta-voz é sempre o homem. “É uma posição mais confortável quando se está apresentando seu pitch para homens e sendo avaliado por eles”, comenta. 

Mesmo na posição de mentora, Nayara compartilha alguns comentários não solicitados que costuma receber. Tanto com relação à sua vestimenta formal para tratar com startups quanto à sua posição apaziguadora nos feedbacks que fornece aos empreendedores nas bancas de avaliação. “Cada um tem seu jeito, não é porque eu costumo colocar algum elogio que meus comentários não estão corretos.”

Entretanto, a mentora destaca a importância de incentivar mulheres a ocupar mais espaço no empreendedorismo inovador. “Mesmo com todos os desafios que enfrentamos, é muito importante não desistir. Somos seres diferentes, mesmo. Mas isso é uma vantagem, não um problema. Temos uma perspectiva privilegiada para atingir uma fração enorme do mercado e precisamos estabelecer e defender nosso espaço de fala e atuação”, finaliza.