Por que aplicar ESG na sua startup

Compartilhe:

ESG é o tema do momento e o InovAtiva Experience 2021.2 não o deixou de fora. A sigla em inglês para Governança Ambiental, Social e Corporativa foi o centro do painel aberto ao público Papo de Startup, no sábado, 4 de dezembro. 

Para provocar reflexões acerca do tema, ninguém melhor do que a Gabriela Werner, CEO da Impact Hub, para ser a mediadora do painel, que reuniu  Ezequiel Vedana da Rosa, CEO e fundador da Piipee, e Andreia Amorim, CEO da Prosperitate Consultoria em Sustentabilidade. 

A conversa teve o tom de celebração de anos de esforço de quem já trabalha em prol desses objetivos há muito tempo. “Parece que aquilo que a gente falava há 20 anos, sobre o que  as empresas precisariam se atentar no futuro, está começando a virar realidade”, comemora Gabriela Werner.

Solução para poupar água 

A Piipee é uma startup que nasceu da sustentabilidade. Os empreendedores desenvolveram uma solução para poupar o uso da água da descarga ao urinar. Para Ezequiel, o maior desafio neste tema é comportamental – separar lixo reciclável, fechar a torneira enquanto escova os dentes – e também a necessidade de conciliar diferentes tipos de concepções: “o ser humano como indivíduo busca muito mais o imediatismo, mas grandes fundos de investimento olham para 50 anos no futuro. O cenário mundial em relação a disponibilidade de recursos naturais e flutuações financeiras é insustentável sem o compromisso sustentável de todos agora.”

ESG como valor para investidores

Andreia contextualiza o valor prático da importância do ESG para investidores: “o dinheiro foi quem chamou para a mesa os aspectos que ainda não eram gerenciados em empresas e provocou a existência de métricas que ainda não eram trabalhadas como parte essencial do processo de investimento.”

Ezequiel explica um pouco sobre as métricas utilizadas pela Piipee. Uma delas é a economia de água por base instalada. “É comum que várias pessoas usem o mesmo vaso sanitário, então temos que contabilizar o impacto de nossas vendas para conseguir fazer previsões para o futuro”, diz. 

O profissional ainda fala sobre a questão dos investimentos que privilegiam os empreendedores que focam em impacto. “O dinheiro tem mesmo que vir para quem cuida do meio ambiente e das pessoas. Este é o certo.” 

Empresas engajadas na sustentabilidade

“Quando pensamos no futuro, o planejamento tem que envolver todo mundo. Por isso, as empresas precisam pensar no contrato social. Por que elas ficariam de fora quando se fala do futuro para a humanidade?”, questiona Andreia. A profissional afirma que é possível lucrar com a sustentabilidade e que sua esperança é que esta seja a única opção para todas as corporações que constroem seu modelo de crescimento. 

Além disso, Andreia finaliza com um recado: “uma startup já nasce resolvendo problemas e uma solução sustentável é aquela que faz sentido para todo mundo. Para novos empreendedores, é muito mais fácil já começar com isso em mente, não tem como ficar de fora.”