Tendências para o setor de healthtechs em 2021

Compartilhe:

De janeiro de 2020 até fevereiro de 2021, a Associação Brasileira de Startups (Abstartups) registrou 69 novos cadastros de startups da área da saúde. Os dados ficam disponíveis na base de dados da Associação (Startup Base), e apontam que o setor foi um dos que mais cresceu no ano passado.

Segundo o Diretor executivo da Abstartups, José Muritiba, é notável o crescimento no número de healthtechs nos últimos anos. “O segmento já era um dos principais aqui no Brasil. Em 2020, com o cenário da pandemia, a busca por soluções diversas na área, como a produção de equipamentos de proteção individual usando impressoras 3D, colocaram as healthtechs em evidência no mercado”, afirma.

Muritiba destaca que as startups têm capacidade de adaptação rápida, o que faz com que elas consigam sobreviver até mesmo em períodos de incertezas. “Também é importante ressaltar que, para o setor da saúde, existem oportunidades em diversos níveis, como atuação no serviço público, em hospitais, seguros de saúde e laboratórios”, complementa.

No Ciclo 2020.2 do programa de aceleração InovAtiva Brasil, três startups classificadas como destaques da edição eram da área da saúde. Entre elas estão a Nick Saúde e a Benditas Mães.

A Nick Saúde coleta e armazena dados e o histórico dos pacientes, com o objetivo de otimizar o tempo de permanência na unidade de atendimento. De acordo com a cofundadora e CEO da startup, Flávia Quintanilha, as mudanças provocadas pela pandemia foram um impulso para o reestruturar a empresa.

“Remodelamos a Nick para viabilizar uma jornada digital de saúde, com o propósito de ampliar a experiência, aumentar o engajamento e reduzir os custos operacionais”, comenta.

Para a Benditas Mães, a pandemia também não interferiu nos negócios. O aplicativo desenvolvido pela startup conecta mulheres grávidas ou puérperas com profissionais de saúde que possam atender às suas necessidades. Segundo Tais Saraiva, cofundadora da startup, em 2020, houve um estímulo para que o relacionamento entre o profissional da saúde e o paciente acontecesse de forma online.

Sócia da Benditas Mães, Mariana Bertiz complementa: “a corrida pelo digital foi muito forte em 2020 e também trouxe ênfase para o setor da saúde mental. Nós percebemos que os nossos clientes têm procurado um suporte para essa especialidade e acredito que ela ganhará ainda mais força em 2021”.