Mães empreendedoras: sobrecarga de trabalho possibilitou criação de startup

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Passar por um divórcio não é fácil, principalmente quando o casal tem filhos. Até a mudança de legislação feita em 2014, quando a guarda compartilhada passou a ser a regra para a definição sobre a responsabilidade dos pais sobre os filhos, ela representava cerca de 24% das decisões judiciais. Isso porque ela era considerada uma opção, usada quando possível.

Aline Poulsen, CEO da Zelle, startup acelerada do ciclo 2021.1 do InovAtiva Brasil, comenta que a falta de opção por guarda compartilhada é uma realidade baseada na falta de comunicação entre os casais que se divorciam. Essa foi exatamente sua experiência e o motivo para criar sua empresa. “Quando me divorciei do pai dos meus filhos, o bloqueei das redes sociais porque não queria ver fotos e saber do seu dia-a-dia. Somente nos comunicávamos por SMS, o que dificultou muito cuidar das crianças”, diz.

Aline Poulsen, CEO da Zelle

Criar filhos é uma grande responsabilidade e depende de muita confiança entre as pessoas envolvidas. “Infelizmente, o que acontece é que todas as informações importantes sobre o cuidado com a saúde, educação, contatos dos pais de amigos e tudo o que é relevante fica com a mãe. E nós ficamos sobrecarregadas”, afirma Aline. Foi a partir deste problema que criou sua startup.

App para uso da família

A Zelle é um aplicativo que reúne todas as informações necessárias para que mãe, pai, familiares e babás possam ter tudo à mão em apenas alguns cliques. Ele engloba desde agenda de compromissos com alarmes até documentos, carteiras de vacinação, dados como tamanho de roupas e calçados, contatos e uma área de troca de mensagens.

Aline é mãe da Ana Julia, de 17 anos, e do João Vitor, de 16. “Me tornei mãe ainda muito jovem e, como grande parte das mulheres na minha situação, saí do mercado de trabalho para cuidar da minha família. Quando passei pelo divórcio, tive que enfrentar muitas dificuldades. Sem encontrar uma ferramenta que me ajudasse a tirar toda a responsabilidade das minhas costas, fundei a Zelle. É um aplicativo inspirado na minha experiência pessoal que tem o potencial de ajudar milhões de famílias.”

Aline Poulsen com seus dois filhos

A plataforma foi fundada em 2019 e o aplicativo está disponível desde 2020. Desde então, já alcançou 3.600 usuários com seus planos mensais, semestrais e anuais que permitem incluir até seis filhos e dez familiares. “Hoje vejo que as adversidades que enfrentei me possibilitaram criar minha própria empresa e causar o impacto positivo que temos conquistado. Nossa divulgação por enquanto é inteiramente por indicação e os feedbacks positivos que recebemos nos dão mais vontade de continuar”, finaliza a empresária.

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência